PASTORAL DO DÍZIMO








AS TRÊS COLUNAS DO DÍZIMO


Por Pe. Demétrio (Pároco de Sertãozinho)

A Coordenação da Pastoral do Dízimo em cada Paróquia ou Diocese deve apoiar-se em três colunas: amor, visitar, formar.
A primeira coluna do Dízimo nos lembra que é preciso anunciar o amor de Deus, ajudar as pessoas a perceberem este amor em suas vidas, sobretudo, no que há de mais ordinário. Estamos rodeados de provas do amor de Deus por nós: a nossa própria existência nos fala deste amor, nossas habilidades e talentos, nossa família, as pessoas que ao longo de nossas vidas nos acolheram; estenderam a mão em um momento de dificuldade quando tudo parecia perdido; a natureza com sua variedade e beleza. De um coração que se sente amado e cuidado por Deus brota um sentimento: a Gratidão; o dízimo é, portanto, esta forma de bendizê-Lo por todos os dons que Ele na sua liberalidade nos concedeu.
A segunda coluna consiste em ir ao encontro (visitar), deixando-nos guiar pela mesma dinâmica da Encarnação do Verbo: Deus veio ao nosso encontro não somente para nos visitar, mas para ficar conosco. Assim, através das visitas dos missionários, o Dízimo deixa der ser uma campanha financeira e se transforma em uma Pastoral, modo concreto de cuidar das pessoas, tendo em vista, que a proposta é de um estado contínuo de missão. Sendo assim, as visitam se transformam em momentos privilegiados de escuta e conscientização.
Por fim, a terceira coluna, nos ajuda perceber que sem formação permanente não há como fazer crescer pastoral alguma. Faz-se necessário ao menos uma vez no mês proporcionar aos missionários do dízimo uma formação à luz das citações bíblicas que nos motivam na devolução do Dízimo. O Dízimo é bíblico, não é invenção da Igreja, mas sim um preceito bíblico que precisa ser visto como resposta de amor por tudo que recebemos de Deus.
 Nas visitas os missionários escutam as dúvidas e inquietações das pessoas, e por isso, precisam estar preparados para esclarecê-las. É claro que não basta proporcionar momentos formativos somente para a Coordenação do Dízimo e seus agentes (missionários) devemos promover encontros formativos também para os dizimistas.


A EVANGELIZAÇÃO E O DÍZIMO

 
Por Pe. Demétrio (Pároco de Sertãozinho)

Nos últimos meses, um grande ardor missionário emergiu em todas as paróquias da Diocese de Guarabira graças ao novo modo de enxergar a Pastoral do Dízimo. Todas as Paróquias foram convidadas a acolher os Missionários da PROIDE que passaram semeando uma nova perspectiva do Dízimo.

O Dízimo até então era visto como um dos vários meios de captação de recursos; não estávamos suficientemente convictos de sua importância na vida de nossas comunidades. Por isso era comum promovermos também festas com o objetivo de viabilizar a Evangelização, deste modo, se multiplicavam as quermesses, os pavilhões, leilões, bingos, serestas, etc.
Através dos momentos formativos proporcionados pelos missionários da PROIDE, aos poucos fomos compreendendo que nem todas as formas de captação de recursos são dignas para evangelização. Percebemos também, que o dízimo, poderia se tornar em um pretexto para visitar as pessoas, e desse modo, demos início a formação de missionários do dízimo, que foram enviados dois a dois (como o próprio Jesus já havia feito) com a incumbência de visitar ao menos uma vez por mês, não somente os dizimistas, mas todos os fiéis católicos.
Diante desta realidade poderíamos nos perguntar: por que só agora a Igreja está despertando para motivar-nos à prática do Dízimo? A resposta é simples: para Igreja Católica o que está em primeiro lugar é a evangelização e não o Dízimo. É comum encontrarmos igrejas fazendo do dízimo quase que um rito de iniciação da fé, de modo que, para se fazer parte de tais igrejas é necessário em primeiro lugar tornar-se dizimista. A Igreja desde muito cedo compreendeu que a Evangelização precede o dízimo, ou seja, o dízimo é fruto da ação evangelizadora.
Para nós católicos o dízimo nasce do anúncio do amor de Deus e das maravilhas já realizadas por Ele na nossa história de vida. Brota de nossos corações como gratidão. Não nos tornamos dizimistas para exigir algo de Deus ou da Igreja. O dízimo não é uma forma mágica para se conseguir um emprego ou se dar bem na vida enriquecendo da noite para o dia, ou ainda, ficar curado de uma enfermidade física. Esta atitude nasce da descoberta da bondade de Deus para conosco.

CD - DÍZIMO É PARTILHA – Pe. José de Freitas Campos

1.Sou Dizimista (entrada)
1. Tem que ser agora,
Já chegou a hora da condivisão
Deus é Pai da gente,
Fez-nos diferentes, mas nos quer irmãos.

Refrão: Eu sou dizimista, eu sou.
Vou ser dizimista, vou.
Vamos partilhar o que Deus nos dá
Todo nosso amor (bis).

2. Ó que maravilha,
Festa da partilha, sem obrigação.
Deus é Pai bondoso,
É tão generoso, multiplica o pão.

3. Os irmãos carentes,
Pobres e doentes, se alegrarão,
Quando a nossa oferta
For de mão aberta, for de coração.

2. Vós sois o caminho (ato penitencial)

1.    Senhor, vós sois o caminho,
Guiai-nos ao Pai com carinho.
De nós tende piedade,
Senhor, tende piedade!

2.    Ó Cristo, sois a verdade.
Enchei-nos de caridade.
De nós tende piedade,
Ó Cristo, tende piedade!

3.    Senhor, vós sois nossa vida
Buscais a ovelha perdida.
De nós tende piedade,
Senhor, tende piedade!

4.    Nós te glorificamos (glória)

Nós te glorificamos, Senhor
Nosso Deus, nosso Pai
E nosso criador.

Nós te louvamos, porque
Repartes conosco teus bens.
Pede-nos pra repartir
Os nossos dons também.
Nós a ti bendizemos,
Por tua santa palavra.
Ela é que nos orienta
Pra sermos fiéis à partilha.
E nós te adoramos,
Porque és nosso Deus,

Nos convidas a construir
Na terra o reino dos céus.

4.Procissão da Palavra

Refrão: A comunidade dança alegre e canta
Acolhendo agora a Palavra santa.

A Palavra vem, vem nos libertar
Como um vento forte a nos arrastar.

A Palavra vem, fala ao coração,
Chega como a chuva, fecundando o chão.

Bem-aventurado, e povo feliz,
Quem vive a Palavra e a Deus bendiz.

Vamos caminhar, irmãs e irmãos,
Já chegou a hora da nossa missão.

Aleluia, irmãos, Jesus vai falar,
O santo evangelho vamos aclamar!

5.Feliz o homem que teme ao Senhor
(salmo responsorial)

Refrão: Feliz o home que teme ao Senhor.
Feliz aquele que tem amor (bis).

1.Feliz aquele que tem piedade
Dos outros e empresta
E que dirige
Os seu negócios com justiça.
Quem é bom nunca fracassará
E será lembrado para sempre.

2.Ele é generoso
E reparte com os pobres
E sua bondade nunca falha.
Os maus vêem e ficam com raiva.
A Esperança dos maus dá em nada.

6.Aleluia (aclamação ao evangelho)

Refrão: Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia (bis).

Cada um partilhe conforme
O impulso de seu coração,
Pois Deus ama
Quem reparte com alegria.

7.Entre nessa procissão (ofertório)

Refrão: Se você tem fé,
Fique de pé.
Se você é irmão,
Ente nessa procissão (bis).

1.Vamos, irmão, levante,
Caminhe com disposição.
Trazendo a sua oferta
De acordo com seu coração.

2.Vamos irmão, partilhe,
Nosso Deus é comunhão
E abençoa as ofertas,
Da Igreja peregrina em missão.

3.Vamos, irmão, coragem,
Não importa o que tem na mão
Se hoje não tem nada,
Ofereça o seu coração.

8.Muito obrigado, Senhor (ofertório)

Refrão: Muito obrigado, Senhor,
Pelos bens da criação.
Vimos com amor ofertar
Os dons partilhar, doar ao irmão.

1.Senhor, aqui ofertamos
Vidas sofridas que temos,
Fadiga, tempo e trabalho
Graças de ti recebemos.

2.Senhor, aqui ofertamos
Vinho unido ao pão,
Semente de esperança.
Fruto de paz neste chão.

3.Senhor, aqui ofertamos
Nosso clamor de justiça.
Queremos ser solidários
Livres de toda a cobiça.

9.Santo é o Senhor

Santo, santo é o Senhor (bis)
Nosso Deus e nosso criador (bis)
Hosana ao nosso Deus libertador (bis)
Bendito o que vem em nome Senhor (bis)
Hosana, hosana ao nosso salvador (bis)

10.Já existe a partilha (comunhão)

1.Ninguém pode calar a voz,
Ninguém pode forjar a razão.
Ninguém pode conter de novo
O grito do povo faminto de pão.

Refrão: Se entre nós
Já existe a partilha,
Entremos na fila
Do amor comunhão (bis).

2.Ó Senhor, tantos braços fechados,
Poderiam se abrir, dar as mãos.
Quantos lábios tão mudos, cerrados,
Não querem falar, defender o irmão.

3.Ó Senhor, tantos trabalhadores
E outros tantos sem ocupação,
Esperando trabalho e salário,
O pobre e operário a viver de ilusão.

4.Ó meu Deus, há mulheres sofrendo,
Há crianças na rua sem pão,
E a Igreja se faz solidária,
Na prece diária, convida à ação.

11.Dízimo pertence ao Pai

1.É tarefa de todo o cristão
Ajudar alguém pobre a viver.
Tudo o que pertence ao nosso Deus,
Isto nós devemos devolver.
Se pagarmos o que nós devemos,
Novidades vão aparecer.

Refrão: Dízimo, dízimo,
Pertence ao Pai, e não a mim (bis).

2.Dízimo é participação
Da Igreja pobre que caminha.
É sustento da casa do pai,
É ajuda pra todo irmão.
Isso é ação comunitária
De palavra e também de oração.

3.Não convém comprar o céu
Com o dízimo,
Mas não dê somente a migalha.
Ele existe para ajudar
Na saúde e também no trabalho.
Chegaremos aos necessitados, com fome,
Dê também o agasalho.

12.É o dízimo, Senhor!

Refrão: É o dízimo, Senhor,
Que nos mostra com certeza
Gratidão ao Criador,
Compromisso na Igreja (bis).

1.Nada me falta em meu caminhar
O Senhor abençoa
A quem aprendeu a partilhar

2.Vem ser dizimista na comunidade
Caminho seguro
De verdadeira fraternidade.

13.Mãe do Terceiro Milênio

Refrão: Com Maria,
Mãe do Terceiro,
Com Maria,
Esperança dos pequenos (bis).

1.Tu és a glória de Jerusalém.
Tu és alegria do meu povo.
Humilde, corajosa e operante,
Maria inaugura um tempo novo.

2.Tu és seguro porto aos navegantes.
E vais com a graça e paz enriquecendo.
Tu és Maria, o lírio entre espinhos,
Teu nome é como óleo escorrendo.

3.Rainha de estrelas coroada,
Maria aponta o tempo do perdão.
Tu és saúde certa dos doentes.
És forte, tu venceste o dragão.

4.Maria, és a sarça da visão.
De ti nasceu o rei libertador,
Vestida com o sol resplandecente
O sol é Cristo nosso salvador.

5.Tu és formosa filha de Sião.
És pobre e estás de ouro ornada.
Maria, ó invicta Judite,
És porta oriental jamais fechada.



Um comentário:

Anônimo disse...

Dizimo ato de fé e amor, torne-se dizimista, o dizimo será uma experiência em sua vida.deus ama quem partilha seus dons.